x

Newsletter

Receba conteúdo semanal do L&N

  • Mídias:

Longo Prazo

longo-prazo

De muitas ideias que refleti esse ano, a visão de longo prazo foi uma das mais marcantes. Em muitas histórias de sucesso que li, seja empresarial ou pessoal, todos indivíduos percorreram longas estradas, dedicaram anos de suas vidas e só colheram os frutos muito tempo depois.

Hoje encaramos a vida de uma forma diferente de nossos antepassados. Nossa era é marcada pelo imediatismo, visão de curto prazo, queremos tudo para ontem: o sucesso profissional, um relacionamento ideal, dinheiro no bolso e muitas conquistas, e claro, tudo isso antes dos 30 anos. Muitos livros confrontam essa visão. Em “Maestria” de Robert Greene conhecemos a história de vida de diversos grandes indivíduos. Conquistaram fama, colheram frutos dos seus trabalhos e foram produtivos em suas vidas. Muitas histórias que ouvimos falar no dia a dia não revelam os períodos de dificuldade, desistências e sofrimento que essas pessoas enfrentaram. Grandes indivíduos percorreram caminhos difíceis, longos, e por anos a fio se dedicaram ao que amavam, ao que acreditavam. Uns fizeram obras de arte, outros escreveram livros, outros fizeram invenções incríveis e outros construíram empresas. O que eles têm em comum? Viveram anos em busca de seus sonhos, visualizaram um grande objetivo e trilharam um longo caminho até suas conquistas. Músicos, artistas plásticos, arquitetos, engenheiros, inventores, empreendedores, dedicaram ao menos, 10 mil ou 20 mil horas em suas áreas até alcançar grandes resultados. Robert Greene não acredita em sucesso predestinado, sorte ou loteria genética. Em “Maestria” mostra que o sucesso é resultado da prática deliberada, da busca obstinada pelo progresso.

Acredito que um ingrediente importante para um indivíduo ambicioso é a insistência. Praticar todos os dias, tentar mais uma vez, ajustar sua execução, e continuar fazendo. O resultado de longo prazo é uma subtração entre conquistas e fracassos. E o sucesso é o resultado positivo dessa operação. Muitos indivíduos bem sucedidos fracassaram muitas vezes. Acredito que o fracasso não é um presságio para uma vida repleta de decepções. Tudo depende da mente que enfrenta os desafios da vida. Um posicionamento proativo diante da vida, que busca melhorar a cada execução, é o grande motor propulsor do sucesso. Cada vez que erramos, temos a oportunidade de perceber o problema e se ajustar,  dessa forma nós crescemos um pouco mais. Esse crescimento é pequeno no começo, e muitos acabam desistindo nessa fase. Mas os que persistem, que vão se ajustando dia após dia, mês após mês, ano após ano, crescem de forma espetacular.

Mesmo sabendo disso, tudo continua sendo um imenso desafio, pois o dia a dia é muito difícil. Nossa vida acaba exigindo medidas rápidas e escolhas que visam o curto prazo. Distraídos podemos ser levados pela rotina, e com o passar do tempo nós continuamos quase os mesmos. As exigências da vida parece nos levar a fazer coisas sempre pensando no agora, na retribuição imediata, nos frutos rápidos. E nessa armadilha vamos levando anos a fio sem nenhum progresso. Como tudo é muito rápido, 10 anos passam de forma impressionante e num piscar de olhos. Corremos o risco de olhar pra trás e ter corrido em círculos por todos esses anos. O autor de “Pai Rico, Pai Pobre”  Robert Kiyosaki chama isso de corrida dos ratos. Como um hamster em sua rodinha, nós giramos, giramos e não saímos do lugar. Trabalhamos para pagar algumas dívidas, fazemos mais dívidas para sobreviver e realizar sonhos, e no final precisamos trabalhar um pouco mais, senão tudo pode desmoronar.

Por isso a leitura e os estudos são tão importantes. Com eles nossa visão se amplia e muitos mitos caem. Vamos aprendendo a lidar com a vida de outra maneira. Mudamos o rumo quando é necessário. Ajustamos o que está errado e damos mais um passo à frente.

O longo prazo não é uma ilusão. É uma forma realista de encarar a vida e construir grandes coisas. Não precisa necessariamente ser riqueza, uma grande casa, um carro de luxo. Cada um pode construir o que achar que vale a pena. Mas não importa muito o objetivo final, o caminho é muito parecido. É preciso estudar para ampliar nosso horizonte e derrubar barreiras. Refletir para assimilar o aprendizado e moldá-lo à nossa realidade. Agir com base em nosso conhecimento e reflexão, criar coisas novas, dar a cara a tapa e ir em frente. E por fim ajustar a direção e aprender com os erros cometidos no percurso.

Esse é o fluxo da maestria.

  • Dhean Lester

    haha li seu blog, algumas coisas na vida sempre temos vontade de fazer em um dado momento, e de fato em vários momentos olhei para trás e percebi que estou exatamente onde eu diria que estaria com tal idade, porém as vezes percebemos o quanto ainda falta para alcançarmos tudo que de fato queremos, sonhamos, buscamos, mas pelos menos pra mim assistir aquele vídeo seu sobre capital humano, e depois ver outro vídeo o poder do agora, fizeram toda a diferença, uma essência você mostra que devemos de fato ter, e perceber que não há vitórias sem sacrifício, estou disposto a ir com tudo e pacientemente alcançar o que almejo, saiba você tem grande papel nisso, me inspirou de fato. Meu nome é Valdean de Oliveira , costumam me chamar de Dhean ou Théo Lester e sempre quis algo de diferente, na vida, tenho uma certa facilidade pra compreensão, porem será uma guerra contra mim mesmo todos os dias como vc diz em outro vídeo que é difícil mas que depois torna-se mais prazeroso digamos assim o habito de leitura e estou decidido. haha vou começar a ler, inclusive tô fazendo um artigo pra facul… e dei uma olhada em outros vídeos e pelo visto estarei sempre olhando agora, obrigado e como eu disse continue, você inspira.

    • Lucas Conchetto

      Opa, que isso meu, muito obrigado. Segue firme, pois quem tem grandes ambições, sejam elas quais forem, o preço é bem alto. Só cuidado para não ser engolido pela ansiedade e desejo de ganhos rápidos. Continue focado no desenvolvimento pessoal, e consciente que vai ser difícil, mas a recompensa vem, em 5 anos você vai dar um salto radical. Leia bastante, reflita bastante e não se limite só a livros de negócios ou desenvolvimento humano, caia de cabeça na literatura e filosofia. Abraço!

Livros & Negócios 2018 por MINIMAL