Agora o meu livro "Pensamento estratégico é um lifestyle" está disponível em audiobook, clique aqui para conhecer.
x

Newsletter

Receba o conteúdo mensal :D

  • Mídias:

Filme: Almirante - Águas Furiosas

Estratégia: the admiral roaring currents

O filme The Admiral: Roaring Currents retrata a história do almirante coreano Yi Sun-Sin que com uma frota de 12 navios, contrariando todas probabilidades, enfrenta uma frota de 300 navios inimigos. A estratégia inicial do almirante coreano seria utilizar seus navios tartarugas: um navio totalmente lacrado e fortificado, usado para combates de impacto. O navio tartaruga era lançado contra o inimigo, coberto de gigantes lanças de aço e equipado de um poderoso canhão em sua parte frontal. O maior choque à Coreia viria com o ataque do Japão ao único navio tartaruga da frota, antes mesmo da grande batalha final; sendo o navio tartaruga a última esperança do almirante coreano. O Japão vinha invadindo por 6 anos seguidos a Coreia e o almirante Yi Sun-Sin venceu o Japão em todas elas. A batalha retratada no filme seria uma última tentativa do Japão de conquistar a Coreia. O investimento do Japão nessa batalha foi enorme: centenas de embarcações, espiões e soldados.

Em uma complexa situação, o almirante coreano começa sofrer das duras pressões da guerra, sendo forçado a remodelar sua estratégia na última hora. Utilizando a natureza, o almirante percebe uma tendência de formação de fortes correntes no mar, onde a corrente oscilava com a maré gerando um redemoinho. Essa corrente era formada em um canal, onde uma ilha menor, fazia divisa com o território maior. O almirante então preparou os navios para fazer uma ofensiva via o canal, atraindo o inimigo para ele. A estratégia era provocar o afunilamento através do estreito canal, usando a corrente para desestabilizar e reduzir o poder esmagador do contingente inimigo.

Problemas:

  1. Perda da confiança, tanto dos soldados quanto dos cidadãos
    1. Visto que perdia cada vez mais a confiança dos soldados, o almirante toma uma decisão extrema. Um soldado em total crise emocional, acusa o almirante de levá-los a morte certa. Tudo isso em total instabilidade emocional. O almirante desembainha sua espada e degola o soldado. Encerra sua atitude drástica com um discurso simples, mas forte: “Postura e disciplina em qualquer situação!”. Os soldados perceberam logo que o almirante não estava para brincadeira.
    2. Aprendizado: embora em contextos ruins, o líder não pode demonstrar fraqueza, pois se a liderança quebrar, toda equipe vai junto.
  2. Crises e desertores
    1. Os desertores aumentavam após o navio tartaruga ser queimado, então o almirante incendeia a aldeia e força todos a lutarem. Afinal, não existia esperança em terra contra uma ofensiva de 300 navios e milhares de soldados inimigos.
    2. Aprendizado: comprometer profundamente o time à causa.
  3. Navio tartaruga é queimado pelos japoneses
    1. Sua maior arma foi liquidada. Não existia a possibilidade de construir outro, pois a batalha estava próxima. O almirante encontra a alternativa no canal e na correnteza. Levando os inimigos ao canal, desestabilizando sua formação e atacando pelo lado vantajoso.
    2. Aprendizado: contornar o problema desenvolvendo novas soluções; visão pragmática. Com recursos limitados, crie soluções para otimizar o que tem.
  4. Contingente pequeno de soldados(recursos limitados)
    1. Com poucos soldados o almirante usou o canal para afunilar os navios inimigos em uma estratégia semelhante ao conflito dos persas contra os espartanos na famosa batalha das termópilas. O efeito funil colocava o número do inimigo em posição de igualdade nas ofensivas diretas. Perdendo o grande diferencial do Japão: sua esmagadora frota de navios e soldados.
    2. Aprendizado: não compita de igual para igual se não tem recursos para isso(tecnologia, funcionários, pesquisa, etc.). Trabalhe abordagens diferentes da concorrência e crie novos valores para os clientes.
  5. Na hora da batalha outros comandantes fugiram com seus navios
    1. Na hora da grande batalha, 11 navios da formação coreana fugiram, deixando o almirante e seu limitado número de soldados sozinhos. O almirante estava disposto a dar sua vida em batalha e lutou bravamente, com coragem e inteligência. Sua força inspirou seus soldados da embarcação e os desertores que observavam de longe, ficaram constrangidos pela coragem e determinação de seu almirante, que hora após hora afundava dezenas de navios inimigos. Nos momentos finais, perto da derrota, os outros navios voltaram e se empenharam na batalha.
    2. Aprendizado: Todos podem baixar a guarda, menos o líder. O líder deve ser o primeiro a entrar e o último a sair, sua função é potencializar e inspirar seus times.
  6. Almirante inimigo emparelha vários navios e invade o navio do almirante coreano
    1. O navio coreano é cercado de 3 embarcações inimigas, e um grande número de soldados japoneses passam a invadir o navio do almirante coreano. Nesse interim o almirante inimigo, salta e vem em direção ao almirante coreano. Contudo, em uma posição de vantagem os arqueiros coreanos conseguem derrubar o almirante japonês. Mesmo flechado, em um ataque final e desesperado, ele corre em direção Yi Sun-Sin, para deflagrar um golpe final. Com violência o almirante coreano lança sua espada e corta fora a cabeça do inimigo. Em uma estratégia de guerra psicológica, a cabeça do almirante japonês é içada no navio coreano. Vendo seu almirante morto, com sua cabeça e uniformes pendurados, os soldados japoneses se desestabilizam emocionalmente e fogem.
    2. Aprendizado: Mesmo com poucos recursos, não perca o foco da missão, pois a determinação pode virar o jogo.

Resumo da Estratégia

Compelido a mudar sua ofensiva do navio de impacto “tartaruga”, já que fora queimado, o almirante coreano desenvolve um ataque ao inimigo usando a força da natureza. Através de um canal estreito e com forte correnteza, ele provoca o inimigo, levando o ataque via o estreito. Sua posição em mar(coreanos) não estava dentro da corrente, mas para alcançá-los era necessário que o inimigo(japoneses) atravessassem o canal em seu pior lugar. Em um confronto que os japoneses tinham 300 navios contra 12 dos coreanos, eles não hesitam em lançar ofensivas. Como o canal era estreito, ele provocava uma ofensiva limitada à alguns navios por série(estratégia similar a histórica batalha das termópilas). Isso dava vantagem aos coreanos que tinham uma limitada quantidade de navios. Em confrontos seguidos, os coreanos aproveitavam a desestabilização da frota japonesa pela corrente e bombardeavam o inimigo, afundando-os aos montes. O mar agitado e repleto de destroços aumentava cada vez mais a barreira entre eles. Cheio de fúria e honra ferida, os japoneses continuavam enviando seus navios. O almirante coreano seguia utilizando canhões, a corrente e a tendência do redemoinho levar os navios inimigos para as rochas.

Se tratando de comportamento, o almirante embora firme e muito severo, buscava honrar seus homens com uma atitude de bravura e comprometimento contra o inimigo. Essa proximidade com o front e o contato mais paternal aumentava a sinergia entre os soldados e o almirante, colocando-os em vantagem psicológica contra o inimigo(sendo que o inimigo usava escravos em sua ofensiva).

Com uma pressão constante ao inimigo, que no fim não podia usar seu numeroso exército como vantagem, pois o canal provocava o afunilamento, os coreanos pressionaram-os psicologicamente. Ao eliminar o almirante inimigo, içando sua cabeça em destaque, os coreanos deram o golpe final para desestabilizar o inimigo(tática psicológica). Só bastaria mais um confronto mal sucedido do Japão para que batessem em retirada.

Top 5 Aprendizados para os Negócios

  1. Focar e trabalhar com seus recursos, mesmo que limitados
    1. Muitas vezes nos concentramos no que nos falta para atingir nossos objetivos e não no que temos disponível. Essa visão é perigosa e pode comprometer todo o projeto. Com uma iniciativa pragmática e inteligente, devemos construir nossa estratégia com base nos recursos disponíveis.
  2. Envolvimento do líder com os problemas operacionais
    1. Quanto mais próximo e influente é o líder, melhores resultados obtém. Um líder que não se mistura com a equipe, não pode contar com ela em qualquer emergência, pois sua influência não tem poder. Líderes devem por a mão na massa e circular por toda companhia.
  3. Se não há mais alternativa, apostar todas fichas
    1. Algumas vezes chegamos em situações onde recuar não é uma opção. Nesses momentos devemos colocar tudo de nós e persistir em nossos projetos.
  4. Líder forte, time forte
    1. Time fraco é culpa do líder, e não das pessoas ruins que o compõem. Se a empresa vai mal, se o projeto vai mal, a culpa é antes do líder, pois ele tem poder de colocar e tirar gente. Se o líder é forte, o time é forte e os resultados são consistentes.
  5. Abordar os problemas de forma diferente
    1. Se todo mundo faz X,  é hora de tentar uma abordagem diferente e tentar Y. O mercado fica rapidamente saturado com abordagens de negócios. Por isso devemos buscar inovar e atrair clientes com propostas diferentes da concorrência. Se todo mundo faz tudo igual, por que motivo o cliente deveria te escolher?

Detalhes

Lucas Conchetto - 2018